fone 51 3028 1020 | 51 3028 1828
51 3325 3060 | 51 3012 8866
51 996 175 061
e-mail iad@iadrs.com.br
iaD - Instituto do Aparelho Digestivo
Curtir Curtir página inicialVoltar à home  
Av. Cristóvão Colombo, 3060
CEP 90560 002 - Porto Alegre - RS
Estacionamento Conveniado
Estacionamento Conveniado
localização
   
pHmetria sem Catter IAD
IAD pHmetria sem Catéter IAD

É um exame utilizado para medir a intensidade do refluxo de ácido do estômago para o esôfago. É o método considerado padrão ouro para o diagnóstico da DRGE.

O Instituto do Aparelho Digestivo do RS é a primeira instituição pública ou privada do Estado do RS a contar com o novo equipamento de Phmetria sem cateter por telemetria. A monitoração da Phmetria pelo sistema Bravo® é um teste para identificação de RGE ácido através de inserção de uma cápsula por endoscopia, a qual é fixada na mucosa do esôfago, sem necessidade de permanência de um cateter transnasal. A informação é recolhida ao longo de vários dias (até 96 hs), o que permite ao médico avaliar os sintomas de refluxo, e correlacionar esses sintomas com a presença objetiva de ácido no esôfago, determinando a frequência e duração deste refluxo ácido. O teste é utilizado para confirmar se os sintomas do paciente são causados realmente pela doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). Segundo o Diretor do Laboratório de Motilidade Digestiva do IAD, Dr. Richard Gurski, o principal objetivo do exame é trazer mais conforto ao paciente, por não necessitar do uso de cateter e principalmente aumentar a chance do diagnóstico por poder medir o refluxo ácido por até 4 dias consecutivos.

O monitoramento do pH pelo sistema de telemetria Bravo é a forma mais confortável para o paciente de medir a presença de ácido no esôfago, devido ao seu design sem cateter. Com o uso da cápsula, os dados da pHmetria esofágica podem ser transmitidos sem fios para um pequeno gravador levado na cintura.

Outra vantagem deste sistema é que permite aos pacientes manter suas atividades regulares, com hábitos alimentares usuais, sem o incômodo de ter que se alimentar com uma sonda passando no seu esôfago por 24 hs. O design da cápsula permite que os pacientes possam tomar banho bem como dormir, sem interromper o teste. Além disso, a manutenção das actividades regulares e uma dieta normal durante o teste também tem o potencial de fornecer uma imagem mais precisa da exposição ao ácido, em comparação com os dados recolhidos usando sistemas baseados em cateter onde as atividades normais podem ser limitadas por este uso.

A pHmetria esofágica por telemetria (sem cateter) utiliza para o registro do pH intra-esofágico uma cápsula que é fixada à mucosa do esôfago e apresenta os seguintes benefícios em relação à pHmetria esofágica convencional:

  1. Permite 24, 48 ou 96 horas de monitorização do pH intra-esofágico.
  2. O paciente pode desenvolver suas atividades diárias por completo, sem restrições.
  3. Elimina o desconforto na faringe associado à presença do cateter de pH posicionado pela via nasal.
  4. Elimina a aparência da sonda, podendo ser realizado de forma sigilosa e mais conveniente para o paciente.
  5. A cápsula não varia o seu posicionamento durante a deglutição.

O posicionamento da cápsula de pHmetria é indolor e são necessários uns poucos minutos. O paciente estará apto a respirar, falar e alimentar-se logo após o exame. Durante o monitoramento, os dados são armazenados em um mini-computador levado na cintura.

Medidas antes da pHmetria Esofágica por Telemetria

É recomendado jejum de no mínimo 6 horas precedendo o exame. Caso não haja recomendação contrária do seu médico assistente, o paciente deverá suspender a utilização de antiácidos, procinéticos e bloqueadores dos canais H2 (cimetidina, ranitidina, famotidina, nizatidina) por no mínimo 48 horas antes do exame. Os medicamentos anti-secretores como os inibidores da bomba protônica (omeprazol, rabeprazol, pantoprazol, lanzoprazol e esomeprazol) deverão ser suspensos por um período de 10 dias anteriores à data do exame. É conveniente que além das medicações supracitadas, também seja feito um relato de todas as medicações em uso.

Medidas durante a pHmetria Esofágica por Telemetria

O paciente deve ser encorajado a continuar suas atividades normais, de forma a reproduzir os eventos normais do dia-a-dia. A unidade de registro é pequena, leve e de fácil transporte, ficando presa à cintura do paciente.

É muito importante o registro das atividades durante o teste. Para tal, será fornecido ao paciente um diário onde serão anotados os períodos de decúbito, alimentação e o horário de aparecimento de sintomas como a azia.

Medidas após a pHmetria Esofágica por Telemetria

A cápsula se desprenderá espontaneamente da mucosa esofágica entre o 4° e o 7° dia após a sua implantação e será eliminada nas fezes.

Os cuidados após o término do exame são os seguintes:

  1. Por orientação do fabricante da cápsula, o paciente fica impedido de realizar ressonância nuclear magnética, de qualquer segmento do corpo, por um período de 30 DIAS.
  2. Realizar telerradiografia do tórax 10 dias após a implantação da cápsula para certificar-se do seu descolamento da mucosa esofágica.
voltar ao topo voltar ao topo