fone 51 3028 1020 | 51 3028 1828
51 3325 3060 | 51 3012 8866
51 996 175 061
e-mail iad@iadrs.com.br
iaD - Instituto do Aparelho Digestivo
Curtir Curtir página inicialVoltar à home  
Av. Cristóvão Colombo, 3060
CEP 90560 002 - Porto Alegre - RS
Estacionamento Conveniado
Estacionamento Conveniado
localização
   
Tratamento da Obesidade IAD
IAD Unidade de Tratamento da Obesidade IAD

Unidade responsável pela avaliação e tratamento de pacientes com Sobrepeso e Obesidade, com ampla assistência ao paciente, avaliando de forma multidisciplinar todos os aspectos relativos a condição clínica, nutricional, física e psíquica.  Oferece desde terapias menos invasivas, como o Balão Intra-Gástrico, até a Cirurgia Bariátrica.

Cirurgia Bariátrica

A Obesidade é uma Doença?
Sim, a obesidade é uma doença incapacitante, que causa diminuição na qualidade de vida de uma parcela cada vez mais significativa da população, gerando sofrimento físico e psíquico. É registrada na Classificação Internacional de Doenças (CID 10) como “Obesidade E66.0”. A obesidade também está associada a outras patologias, tais como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial sistêmica (pressão alta), apnéia do sono (dificuldade de respirar quando dorme), doenças pulmonares, cardiopatia isquêmica (infarto, angina), dislipidemia (aumento do colesterol e/ou triglicerídios) e, por conseqüência, diminui a expectativa de vida. Por muito tempo se acreditou que a obesidade era simplesmente o resultado de um desequilíbrio, do acúmulo de energia não utilizada pelo organismo, armazenada em forma de gordura. Hoje se sabe que a obesidade é uma doença de entendimento complexo e sua origem é multifatorial. O “ambiente obesogênico” – stress, sedentarismo, privação de sono, comidas industrializadas altamente calóricas e palatáveis – do estilo de vida ocidental, associado a uma predisposição genética individual, são fatores essenciais para o surgimento da obesidade.

Quais os Tratamentos Disponíveis
Existem diversos tratamentos para a obesidade, com resultados variáveis. Dietas balanceadas, dietas que restringem certas classes de alimentos, medicamentos ansiolíticos e sacietógenos são alguns exemplos, e sempre devem ser iniciados somente com acompanhamento médico e de nutricionista. Porém, para os indivíduos com obesidade grave, os melhores resultados são obtidos, comprovadamente, com o tratamento cirúrgico.

• Balão Intra-Gástrico
O balão é uma prótese de silicone, colocada por endoscopia no estômago, onde é inflado. Causa uma sensação de saciedade precoce, e está indicado nos casos de obesidade leve. O balão também pode ser utilizado em pacientes com indicação de cirurgia bariátrica mas que, por falta de condições clínicas, não podem ser submetidos ao procedimento cirúrgico.

• Cirurgia da Obesidade
A Cirurgia Bariátrica, ou Cirurgia da Obesidade, surgiu como uma poderosa ferramenta no arsenal terapêutico desta doença, por proporcionar perda de peso significativa e sustentada, com concomitante resolução completa ou parcial das doenças associadas.

Segundo a Portaria n° 492 de 31 de agosto de 2007, do Ministério da Saúde, a Cirurgia Bariátrica (ou Cirurgia da Obesidade) está indicada para portadores de Obesidade Mórbida, ou seja, pessoas que possuem Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou maior que 40 kg/m2 que não tiveram sucesso com outro tratamento por dois anos; ou para portadores de obesidade com IMC maior ou igual a 35 kg/m2 que possuem doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade.

O programa de tratamento aos pacientes com obesidade que apresentamos inclui a Cirurgia Bariátrica e um atendimento multidisciplinar com cirurgião, clínico, endoscopista endocrinologista, psiquiatra, anestesista e nutricionista. A avaliação pré-operatória é minuciosa, e o acompanhamento pós-operatório é de longo prazo. Seguimos um protocolo baseado nas recomendações do Ministério da Saúde, levando em consideração as peculiaridades de cada paciente, tanto físicas como emocionais.

Como se Calcula o IMC?
É bem simples. O IMC é obtido pela relação do peso, medido em quilos, e a altura elevada ao quadrado, medida em metros. A fórmula de cálculo é a seguinte:

  IMC =
PESO (kg)
ALTURA (m)²
 

Utiliza-se este índice como referência ponderal, e classifica-se o paciente de acordo com a tabela abaixo:

IMC Classificação
Menor de 18 kg/m² Déficit de peso
De 18 a 25 kg/m² Normal
De 25 a 30 kg/m² Sobrepeso
De 30 a 35 kg/m² Obesidade Leve
De 35 a 40 kg/m² Obesidade Moderada
Acima de 40 kg/m² Obesidade Grave

Utilizemos como exemplo uma pessoa que pesa 120 kg e mede 1,60 m de altura. Fazendo o cálculo (IMC = 120 / 1,602 ), obtemos o valor IMC = 46,875 kg/m². Conferindo com a tabela, esta pessoa pode ser classificada como portadora de Obesidade Mórbida. Outra forma mais simples de fazer o cálculo é dividir o peso pela altura e, após, dividir o valor obtido pela altura novamente. O resultado é o mesmo:  120/1,60 = 75; 75/1,60 = 46,875 kg/m².

A Equipe do iaD
O comprometimento é peça-chave no tratamento da obesidade. Esta é uma doença de origem multifatorial, de difícil controle, e que afeta indivíduos intelectualmente ativos e em plena fase produtiva da vida, causando importante limitação. Porém, através de um programa estruturado e com uma equipe experiente, é possível reverter esta situação, melhorar a qualidade de vida e mudar a história natural de uma doença cada vez mais prevalente no mundo contemporâneo.

 

Tratamentos da Unidade

voltar ao topo voltar ao topo